Presidenta Bar e Espaço Cultural

Local: R. Augusta, 335 – Consolação, São Paulo – SP. 

QUINTA-FEIRA, DIA 02 DE DEZEMBRO

22h – Vanessa Bumagny (SatyriSom) – Vanessa faz o último show do disco O Segundo Sexo e já adianta algumas canções de seu próximo álbum Cinema Apocalipse que será lançado em janeiro de 2022.  Parcerias com Chico César e Zeca Baleiro estarão no repertório dançante e romântico, divertido e instigante. Part. Esp. do escritor André Sant”Anna. (45 min – SP). Vanessa Bumagny: voz. Zeca Loureiro: guitarra e vocais. Henrique Alves: baixo. Rogério Bastos: bateria. 14 anos. 

SEXTA-FEIRA, DIA 03 DE DEZEMBRO 

23h59 – Evento com duas bandas: Skipp is dead e Lucifer Kabra + discotecagem Lapa Beats – (SatyriSom) – SKIPP IS DEAD: SKIPP é um músico amapaense e pirata espacial que explora o espaço sideral com seu Indie Rock carregado de Ritmos de sua terra natal e de linguagem eletrônica Chip Tune. Formação do show: Skipp – Guitarra e microfone Colinz – Guitarra e outro microfone Leon Sanchez – Synth e Sedução Marco Trintinalha – Bateria, whey protein e SPD. LUCIFER KABRA: Lucifer Kabra é criador de bandas do underground porto alegrense; Tomate Maravilha e Bambinos Selvagens, e em São Paulo com a Orquestra Demência e Xana Sangra. A antropofagia cinematográfica e a polifonia de gêneros músicas estão presentes nesse show que faz a prévia do disco KABRAOKE! que será lançado no início de 2022. Synt punk, tokusasto, synt pop, cinema de invenção da boca do lixo, movida madrileña, new wave, filmes de kung fu da shaw brothers, synt dub são algumas das influências das diversas cenas propostas no disco. Lucifer Kabra – Voz e guitarra. Gustavo Foppa – Guitarra. Leon Perez – Synts. Marcos Trintinalhia – Bateria. Bruna Aly – Voz e Rafinha – Baixo. LAPA BEATS: Lapa Beats nasceu em 2019 com a intenção de ser um e-commerce de beats, porém, o músico e produtor maranhense Dreg Araújo, sente a necessidade de apresentar suas músicas no palco e, resolve transformar essa ideia no seu projeto autoral, voltado pra cena de música eletrônica e, em 2021 lança seu primeiro álbum, “Combine”, disponível em todas as plataformas de streaming. Dreg Araújo – Músico, Produtor. (180 min – SP). Livre.

SÁBADO, DIA 04 DE DEZEMBRO 

23h59 – Baile do Cha (SatyriSom) – Onde clássicos e perolas da música se encontram em nome da memória afetiva e da diversão. Assim podemos começar a definir a experiência que o público tem a cada Baile do Cha. Show que o cantor, ator, compositor e criador da Música Preta Brasileira Teatral Cha Alberto (Andarilho) criou através de devaneios artísticos em meio ao isolamento social. Onde o novo normal pós- vacina mereceria um encontro descontraído nos reunindo para cantar, dançar a vida ao som de: Wando, Frenéticas, Rita Lee entre outros clássicos da música.  Tudo com clima de festa de família “mundo utópico”, “ sem brigas por política” ou “uva-passa na salada de maionese”.  Então quem colar nessa aventura vem preparado para corais improvisados, cantores de chuveiro e fazer clássicos passinhos. Celebração onde erros são acertos e a música é nossa cura. Acompanhando o front nessa viagem teremos o fabuloso pianista Luiz Viola. (60 min – SP). Voz Cha: Alberto (Andarillo). Teclado: Luiz Viola. 16 anos. 

DOMINGO, DIA 05 DE DEZEMBRO

22h00 – Festa La Quenga – A Festa La Quenga teve estreia em novembro de 2018 no Presidenta Bar na famosa Rua Augusta localizada numa das regiões mais movimentadas da cidade de São Paulo. Com idealização do artista Leonardo Vasconcelos, o principal objetivo era de criar um espaço onde as pessoas pudessem se divertir com liberdade sem qualquer tipo de preconceito. La Quenga vem de Magda La Quenga, nome da drag queen de Leonardo Vasconcelos e anfitriã da noite. A principal referência da drag queen, e consequentemente da festa, é o famoso Bloco das Quengas (clássico bloco de carnaval na Lapa/Rio de Janeiro), onde as pessoas se montam de drag queen, liberando a sua quenga interior. Com isso, La Quenga, além de muita música pop tem o palco aberto, onde em cada edição há performances da Magda e de qualquer drag que queira fazer seu show. Além disso, em cada edição ocorre o desfile com as drags da noite para coroar a Miss La Quenga, escolhida por voto popular. O seu acontecimento era aos domingos, com foco principal de proporcionar aos trabalhadores das artes, que muitas vezes trabalham aos fins de semana e faz do domingo a sua “sexta-feira”, um lugar de diversão. Coma pandemia, a festa teve uma versão on-line na plataforma instagram denominada “Fextinha La Quenga”, onde Magda tocou sucessos pops por 60 minutos e performou diversas músicas. Artista: Leonardo Vasconcelos. (240min – SP). 18 anos.


Comments are closed.

Back to Top ↑
  • Twitter


  • Facebook