SP Escola de Teatro (SP)

Endereço: Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo – SP. 

QUINTA-FEIRA, DIA 02 DE DEZEMBRO

20h – Capítulo II, de Marco Fábio de Faria. (DramaMix). O fim do mundo é fim da vida, nem mais nem menos, e ele está aí, nos rondando. Mas há mundos que vivem um corre diário para não ter o adiamento do seu fim. Capítulo II traz quatro minúsculos atos sobre o acabar do mundo, essa coisa que, de tão cotidiana, nos soa como distopia. Direção: Miguel Arcanjo Prado. Elenco: Terená Kanouté, Rodrigo Alcântara e Miguel Arcanjo. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

20h30 – E Depois?, de Kiko Marques. (DramaMix). Depois de um longo confinamento, depois das portas terem sido abertas, em algum lugar, em algum tempo, um pai, e sua filha pequena,e reencontram. Direção: Vanessa Bruno. Assistência de direção e trilha sonora: Chico Ribas. Elenco: Lara Arvati e Osmar Pereira. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

21h – Um homem, de Rubens Rewald e Thais de Almeida Prado. (DramaMix). Na casa de Elena, seu amigo que divide o apartamento acabou de fazer uma festa de aniversário. Todos os convidados estão bêbados e enlouquecidos e vão para a balada deixando Elena sozinha no apartamento com toda a sujeira e bagunça. Ela olha para o apartamento desolada e descobre que tem um homem deitado em sua cama. Direção: Rubens Rewald. Elenco: Natália Lorda e Thais de Almeida Prado. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

22h – O que meu corpo nu te conta?, de Marcelo Várzea. (DramaMix). Os trinta e seis atuantes do Coletivo Impermanente, dirigidos por Marcelo Várzea, se revezam nesta performance onde seus corpos nus, em relatos confessionais postos em de mini solos de autoficção, revelam histórias marcadas em suas peles e existências Temas como homofobia, assédio sexual, etarismo, gordofobia, machismo, disforia do espelho, pretitude, racismo, compulsão, hipervalorização do erotismo, pedofilia, transfobia, maternidade, infertilidade e educação sexual, entre outros temas, são abordados olho no olho, respirando junto, num ato íntimo. Direção: Marcelo Várzea. Elenco: Coletivo Impermanente. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

22h30 – Necrópolis, de Luis Eduardo Souza. (DramaMix). Em um cemitério, um coveiro anônimo filosofa sobre a vida e a morte em meio à pandemia. Direção, adaptação, trilha sonora, figurino: Dionísio Neto. Elenco: Dionísio Neto. Produção: Companhia Satélite. Iluminação e operação de luz e som: Roberto Herrera Bueno. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

22h30 Sertânia, de Dionísio Neto. (DramaMix). O jagunço Deus-te-guie decide contar ao pai sobre a carta que enviou ao seu amigo Baguiada que mora na América sobre seu casamento com Estefânia. A reação do pai é inesperada. Direção, trilha sonora, figurino: Dionísio Neto. Elenco: Dionísio Neto. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

23h – A primeira cena, de Naiade Margonar. (DramaMix). Num pequeno encontro entre autobiografia e autoficção, ela divide lembranças como quando assistimos vídeos caseiros de infância. Direção: Luna Martinelli. Elenco: Carolina Splendore. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

23h59 – Lorem Ipsum Dolor Sit Amet, de Vana Medeiros. (DramaMix). Aquele texto que a gente usa só pra preencher espaço. Quando ainda não temos o que dizer, não sabemos como dizer, quando dizer. Lorem ipsum dolor sit amet. Uma experimentação dramatúrgica que só passa a funcionar quando esta peça começar de verdade. Isto não é uma peça, é uma âncora. E uma âncora não é uma peça de teatro. Direção: Ronaldo Serruya. Elenco: Camilla Flores. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

SEXTA-FEIRA, DIA 03 DE DEZEMBRO

14h – PERDIDOS (Teatro Adulto) – Dois homens dividem um quarto, a miséria, as frustrações. Numa tentativa desesperada de sair dessa situação eles vão ao limite um no outro até não tem mais para onde voltar. (60 min – SP). Texto: Direção: João Paulo Guerra. Elenco: João Paulo Guerra e Cauê Araújo. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar). 14 anos. 

16h – Histórias de Morte e Outros Assombros (PerforMix) – “Histórias de Morte e Outros Assombros” trata-se de um repertório performático do projeto cultural Contos de Pandora. Usando recursos artísticos, as histórias são narradas e encenadas de acordo com a ambientação proposta e abrindo espaço para o debate de temas relacionados à morte, ao medo e outros tabus que nos despertam temor e curiosidade. (60 min – SP). Performers: Giovanna Rubbo e Malu Paixão. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). 12 anos.

17h30 – A  dura vida de Gorete Assis (Teatro Adulto) – Gorete Assis quer convencer Virgínia, sua amiga, a não casar com um homem que conhece há pouco tempo. Para isso fará revelações sobre os motivos do divórcio com o ex-marido. (40 min – SP). Texto, direção e elenco: Augusto Haagensen. Quando: Sex, 03 de dezembro às 17h30. Quando: Sex, 3/12 às 17h30. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar). 14 anos.

18h – Afroapocalíptico capítulo 1, de Rodrigo Jerônimo. (DramaMix). Duas personagens conversam contam uma para outra suas experiências sobre o fim do mundo. Direção e elenco: André Lu. Onde: Sala Alberto Guzik (1ºandar).

18h – ARTÉRIAS LUMÍNICAS (PerforMix) – Ato coletivo de construção de uma rede arterial composta por lugares, cores, sons e memórias que aludem à obra literária de Eduardo Galeano, “Veias Abertas da América Latina”. Tendo em vista duplo significado da palavra “Lumen”, unidade de fluxo luminoso e interior de um vaso ou cavidade sanguínea, a performer faz uso de um carretel de linhas luminosas para tecer trajetos sensibilizantes entre os presentes, criando uma narrativa que percorre territórios fronteiriços no geográfico, político e sensorial. (18 min – SP). Performer: Nataly França Mamede. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). Livre.

19h – A gente se acostuma com o fim do mundo, de Eduardo Baszczyn. (DramaMix). Uma porta. Fechada. Cada um de um lado dela. Entre todos os finais possíveis para uma história de amor, este. Ela e seus restos. Ele e o apartamento agora mais vazio. Dois incompletos em meio ao silêncio das coisas não ditas. Direção: Fábio Vanzo. Elenco: Sabrina Denóbile e Guilherme Andrade. Produção: Julia Bobrow. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

19h – Capítulo IV: A topografia do Carneiro (Teatro Adulto) – Partindo de uma inquietação do performer Alexandre Marchesini ao observar a tela Agnus Dei de Francisco de Zurbarán por 9 horas durante uma visita ao Museu del Prado, que o instiga a uma investigação pessoal da própria identidade, a peça performance propõe uma experiência narrativa não linear contemplativa entre os vazios e fragilidades do artista, em uma quebra desconcertante entre seus conflitos internos e a figura transitória do carneiro, animal com grande capacidade de sobrevivência em ambientes hostis. (54 min – SP). Texto e Direção: Alexandre Marchesini. Elenco: Alexandre Marchesini, Beatriz Correa, Ana Barreto, Arthur Borges e Karla Samantha. Áudio: Fernanda Stefanski. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). 14 anos. 

19h30 – Paixão e outras formas de se viver uma tragédia (Teatro Adulto) – Iris é uma mulher de meia idade que abriu mão do seu antigo casamento para viver uma história de amor com Paulo, um homem de apenas 25 anos. Após se tornar vítima de agressões psicológicas e físicas do atual parceiro, Íris decide mudar de vida e sair da posição de vítima antes que seja tarde demais. (50 min – SP). Texto: Daniel Belizário. Direção: Augusto Haagensem. Quando: Sex, 03/12 às 19h30. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar). 14 anos.

20h – SUPRAFÍCIE (PerforMix) – Nesta ação performática intermídia e on-line a artista interdisciplinar Nataly França Mamede parte da construção e exposição empírica de seu conceito de ‘SUPRAFICÍE’, superfície-supra-sensorial que funde tela, corpo, pixel, glitch, tinta e gestualidades em um processo orgânico-físico-tecnológico que adentra suas fraturas afetivas e estratégias descolonizantes. Trata-se de uma performance no limiar de campos como live painting, poesia, video-mapping, body art e arte sonora. (9 min – SP). Performer: Nataly França Mamede. Onde: SP Escola de Teatro – Unidade Roosevelt – Sala Antônio Pompêo (6º andar). Livre. 

20h – Vermelho Noir, de Clara Averbuck. (DramaMix). A Atriz Ângela, uma mulher de seu tempo mas totalmente transgressora, peita a tudo e todos. Um sucesso na carreira, vive levando rasteiras do Patriarcado Político de Pedra Preta, o fictício país que se incomoda com suas atitudes e morre de medo que ela influencie “mulheres de bem”. Mas quem é “de bem”? Direção: Clara Averbuck. Elenco: Clara Averbuck. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

* Transmissão simultânea ao vivo. 

21h – Revlon 45, de Fernanda D´Umbra. (DramaMix). Num jantar à luz de velas uma mulher cujos pais foram torturados na ditadura explica como funciona uma arma de fogo. Texto, direção, iluminação e interpretação: Fernanda D’Umbra. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

21h30 – O BANHO DE SOL DA BARATA: UMA LEITURA DRAMATIZADA (SatyriBlack – Teatro Adulto) – Obra livremente inspirada no romance de Clarice Lispector: “A paixão segundo G.H”, e no livro a “Metamorfose” de Franz Kafka. Um belo dia S.A.M.O acorda assustada no porão sem reconhecer o seu corpo e sem entender muito bem o que está acontecendo, ao longo da peça vai contar com a ajuda de R.A, uma inteligência artificial que se tornará sua guia. Outras duas personagens, Mirtes e a Barata surgem para friccionar a realidade vivenciada por S.A.M.O. (45 min – SP). Texto: Ueliton dos Santos Alves (YOUtsa). Direção: Anderson Vieira. Elenco: Amanda Cris e Karina Pimentel. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). Livre. 

22h – Será Ou Não Será? A Outra Parte, de Abelardo Araújo. (DramaMix).  O texto tem como enfoque a falta de paciência, de tempo e de empatia. Com o passar dos anos, muitos seres humanos se tornam amargurados e fazem de suas vidas e de suas relações um caos. Direção e elenco: Karina Bastos.  Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

23h – A noite em que tentei ser Jean Cocteau, de Renato Andrade. (DramaMix). A partir de uma ideia de Jean Cocteau, um autor perdido entre suas palavras questiona a dificuldade de ser quem verdadeiramente é. Direção: Fábio Lucindo. Elenco: Fábio Lucindo. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

23h – Retalhos – uma colcha de narrativas (Teatro Adulto) – Uma socialite ganha prêmio internacional de cinema. Maria é escolhida para Ministra do Brasil. Eduardo e Mônica têm seu primeiro encontro. Saulo está apaixonado e confuso no carnaval de Salvador. Victor e Mary Anne trocam cartas de amor durante a Segunda Guerra Mundial. Joana está com o poder da água. Já Geni é a salvação da cidadezinha de Gerimum. E São Paulo é o cenário para o sonho artístico de três jovens amigos. (75 min – SP). Texto e Direção: Lucas Ronconi. Elenco: Alícia Ignácio, Júlia Delgado e Lucas Ronconi. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). 16 anos. 

23h30 – Marias: Memórias encarceradas (PerforMix) – Cinco atuantes dividem o mesmo espaço cênico com um único objetivo: relatar histórias de mulheres. Mulheres que têm nome, sobrenome, identidade, trajetória e memória. Memórias essas que atravessam as celas das quais foram inseridas por uma política imposta pelo terceiro país com maior número de encarceramento do mundo. Vamos performar e dar voz a esses relatos, que muitas vezes não chegam ou são colocados à margem da sociedade. (35 min – SP). Performers: Carol Medeiros, Marina Rodrigues, Maruan Molero e Yasmin Moraes. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar). 16 anos. 

23h59 – Dois poetas num país brutal, de Denio Maués. (DramaMix). Cazuza e Renato Russo morreram nos anos 90 e, em suas canções, mostraram as dores da alma e as tragédias do país. Admiravam-se mutuamente e quiseram fazer uma canção juntos, plano que nunca se concretizou. A partir de uma entrevista real de Cazuza, em que fala no assunto, um fã imagina como poderia ter sido essa parceria e a importância da obra desses dois artistas no Brasil de hoje. Direção: Bruno Perillo. Elenco: Nicole Cordery. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

SÁBADO, DIA 04 DE DEZEMBRO

00h30 – Apenas um Sonho Americano (Teatro Adulto) – Ludmilla vai se apresentar para Madonna, seu maior sonho, o problema que Vicente está cada dia mais tóxico. (60 min – SP) . Dramaturgia: Lais Mendes Pimentel, Evana Ribeiro e Rodrigo Ferraz. Direção: Rodrigo Ferraz.. Elenco: Carola Valente, Roberto Herrera e Leandro Ganth. Participações Especiais em Audio: Nany People e Débora Olivieri!. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar). 16 anos.

14h – O Corpo Marcial – preparação do ator. (Oficinas e Workshops) – Uma visão da preparação do corpo do ator sob a ótica das artes marciais. Experimentos, técnicas e exercícios de Kung Fu e outras artes orientais da construção de um novo tônus muscular e outra consciência corporal na formação do ator. (30 min – SP). Instrutor: Fabio Melgarejo. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar). Livre.

14h – PLUFTHY O FANTASMINHA GAY E A TERRÍVEL PIRATA PURPURINEX (Teatro Satyrianinhas) – PLUFTHY é um fantasminha gay e negro medroso que vai ajudar sua nova amiga Maribel a fugir da terrível pirata PURPURINEX e conta com a ajuda do primo Xisto, da fantasma dançarina Naftalina Pink Vaporosa e da Rainha do Mar e suas ninfas. Será que Maribel escapará? (45 min – SP). Texto e Direção: Silvio Mello. Elenco: Vânia Guima, Matheus Souza Silva, Tina Carmélia, Kimberlly Gomes, Larissa Bumba,Rhadygia Rubal, Luiza Silva, Jénnyfer de Araújo, Rhyanna de Araújo, Marya Rita, Gabriel Guimarães, Mariana Stefani e Sabrina Quinto. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar). Livre. 

15h – Dramaturgia em Ação: Fôlego – Ensaio sobre tudo o que aconteceu (Teatro Adulto) É uma leitura dramatizada sobre um texto que ainda está em processo, pois ainda está se vivendo, de tudo que aconteceu nos últimos meses. Quais os sentimentos ditos e não ditos, o tempo que foi dilatado, e como tudo reverbera nas fragilidades que ainda habita em nós? Uma proposta de mostrar as fendas que o tempo deixou em nós, e com afeto encontrar o sentido delas, ou ao menos conhecê-las. (30min – SP). Texto: Danilo Stavale. Direção: Cadu Cardoso. Elenco: Adriane Hintze e Ada Anjos. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar). 12 anos. 

15h – Oficina Composição Coreográfica a partir do estudo de temas de movimentos. (Oficinas e Workshops – DançaMix) – (90 min – SP). Ministrada por Ariana Macedo. A proposta da aula é investigar qualidades de movimentos com variações de dinâmicas, planos, exploração de espaços e compor células coreográficas a partir dessa investigação. Onde: Sala Antônio Pompêo. (6ª andar). 

16h – Canário (PerforMix) – Resistimos! Mas a que custo? Enclausurados em nossas gaiolas: Uma tela, A mente, Um sonho. Se você lutar, se você resistir, se você se esforçar, se e somente se… talvez um dia você vença. Mesmo que falte força, mesmo que falte ar. É proibido desistir! (15 min – SP). Performer: Patrick Soares. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar). 16 anos. 

17h – Évolon – Uma experiência vertical (Cia Base) – O espetáculo vertical da premiada Cia Base, Évolon, coloca bailarinas e acrobatas flutuando, voando e dançando em prédios e pontes, fazendo o público inverter seu olhar para uma nova perspectiva de palco numa atmosfera surpreendente para as crianças e adultos. Évolon desafia a gravidade em pontes e prédios onde bailarinas aéreas experimentam diversas possibilidades do movimento no sentido vertical e horizontal, criando experiências inesperadas de dança e circo aéreo nas alturas.  As coreografias foram pensadas e estruturadas por meio da relação do corpo com a arquitetura, a paisagem, as perspectivas e os acontecimentos do local,enfatizando seu valor cultural, artístico e histórico, possibilitando novos olhares e interpretações para o espaço. (25 min – SP). Concepção e direção: Cristiano Cimino. Elenco: Gabriela Bagno, Jéssica Guedes, Monica Diniz, Adriana Sabbag, Leila Barros. Técnico vertical: Sergio de Souza. Onde: Fachada do prédio da SP Escola de Teatro – Unidade Roosevelt. Livre.

17h – FCO Record’s (SatyriSom) – Apresentação de músicas autorais lançadas em 2021.(60–min–SP). iCantores Lumi ,FVL, JohnLeep ,Trap RiqxRich. Cantor Rap (Hip-Hop) Bobsond Jah e Caf. Cantor Funk: MC G da DS, Fotógrafa: Joy Pereira. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar). Livre

17h – Mesa de Debate “Dança nas quebradas, formação de redes de afeto e sustentabilidade” (DançaMix) – (70 min – SP). Com Rodrigo Cândido (Cia Diversidança), Rosângela Alves (Cia Zona Agbara), Bárbara Santos (Coletivo Olhares de Guiné) e Renan Marangoni (Corpo Molde). Onde:  Sala Antônio Pompêo (6º andar).

18h – II MANIFESTO OBSCENO, de Alex Araújo. (DramaMix). Uma mulher discursa frente a uma plateia imaginária seu manifesto íntimo-poético de confrontação. Palavras e não-palavras são suas armas contra aqueles que a querem presa e adestrada no recato dos bons costumes. O texto é parte de um livro de manifestos obscenos e dramatúrgicos que está em pleno processo de escrita. Direção:  Alex Araújo. Elenco: Daiane Sousa. Produção: Cia do Caminho Velho. Onde:  Sala Alberto Guzik (1º andar).

18h30 – Solo “Existindo” (DançaMix) – A ideia da existência de outra pessoa dentro de mim que se tornou real. Ela como um ser, profundo, cauteloso, assustador, presente(espaço) e apaixonante tomou conta do meu tempo, minha estabilidade, meus pensamentos, se tornando presente(tempo)… E espero que ela permaneça aqui, EXISTINDO. (5 min – SP).  Bailarina e coreógrafa: Fabiana Vintem. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

19h – En las Montañas [leitura em espanhol], de Miguel Arcanjo Prado. (DramaMix). No coração da América Latina, a vida de viajantes se encontra de um modo inesquecível. Direção: Miguel Arcanjo Prado. Elenco: Abel García, Carol Hubner, Elba Mamani, Gui Awazu, Pipa Luke e Rodrigo Barros. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

19h – Pré-estreia do espetáculo “Sagrado Seja o Caos” – com a Cia Dentre Nós. (DramaMix). (45 min – SP). Direção: Rivaldo Ferreira. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

19h30 – O ÚLTIMO POETA VIVO, de Marcelino Freire e Raimundo Moura. (DramaMix).  “O ÚLTIMO POETA VIVO”, texto inédito de Marcelino Freire, que assina a direção ao lado do ator Raimundo Moura, que estará à frente no papel do poeta que, em noite de lançamento espera pelos leitores chegarem e eles nunca vêm. Direção: Mercelino Freire. Elenco: Raimundo Moura. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

20h – Compartilhamento cheio: Performance – Palestra – Denúncia (PerforMix) – Compartilhamento cheio: Performance Palestra Denúncia traz Patricia Lacombe performando suas memórias com a filha atriz Isa Corigliano e caçula Analu Lacombe sob direção de Alexandre Marchesini, experimentando no corpo, na imagem e no audiovisual as relações de invisibilidade que o machismo mais subcutâneo pode esconder na pele de uma feminista que ocupa diferentes papéis e se percebe diante de uma escuridão silenciosa quando, ao escrever sua tese, flagra uma coleção de abusos guardados no pendrive de seu marido. Numa confluência de sensações, a performance ilustra vozes de referências acadêmicas, sociais e culturais em um sensível e atemporal túnel que projeta a personagem em um “duplo” com sua própria imagem em suas herdeiras – ecoando metáforas da dor, do trauma e da renovação de sua potência. (75min – SP). Performers: Patrícia Lacombe, Isa Corigliano, Analu Lacombe e Alexandre Marchesini. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar). 14 anos. 

20h – Solo “Apuro” (DançaMix) – Pelo amor incondicional e entrega à pureza de quando criança, surge a curiosidade pelo afastamento, o contato com a sombra, o outro lado. Apurando o próprio ser mesmo que em apuro. (5 min – SP). Bailarino: Rubens Silva. Coreografia: Manuel Gomes. FigurinoFábio NamatameMúsica: Blow The Wind – Pie Jesu/Jocelyn Pook. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

20h15 – Videodança “Entre Espaço Onde Tudo Existe” (DançaMix) – “É sobre o que antecede o instante, o que existe no entre-espaço: o ar que circunda todas as coisas, a luz, densidades, distâncias, profundezas que despertam sensações, a respiração, o olhar e um desejo de que tudo que está no presente e o que ainda está por vir existam” @_marcusmoreno. (10 min – SP). Concepção e Dança: Marcus Moreno. Direção, Fotografia e Montagem: Pri Magalhães. Assistência de Fotografia: @pauliana.mrTrilha Original@antonioportomusic. Design Gráfico e Mídias Digitais: @juvinagre.  Apoio e Midias Sociais: Portal MUD. Assessoria de Comunicação: @elainecalux. Coordenação de Produção: @cristianeklein @dionisioproducao. Produção Executiva: @elenorjunior. Onde:  Sala Antônio Pompêo (6º andar).

20h30 – Espetáculo “O Peso do Corpo que Risca” (DançaMix) – Com Cia Black In Lak’ech – A proposta cênica do coletivo Black in Lak’ech se debruça dentro da cultura afro-diaspórica, trazendo como animador de reflexão as vivências individuais e coletivas dos intérpretes nas zonas periféricas. A pesquisa do coletivo sobre corporeidade periférica atravessa as manifestações culturais do Afro Dance, Dancehall e Funk, resultando em um trabalho de composição coreográfica representante das vozes ocultas. (25 min – SP). Elenco: Brena Alves, Robson Rosa, Vanceli Masta, Vinee WalkerDireção: Coletiva. Produtor: Daniel Marques. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

21h20 – Espetáculo “O Palhaço” (DançaMix) – Com Clara Hornis e Rubens Oliveira (5 min – SP). Onde:  Sala Antônio Pompêo (6º andar).

23h30 – JACKPOT (PerforMix) – Neste reality-show teatral, a performer e dramaturga Soraia Costa terá um primeiro date ao vivo com um desconhecido do Tinder. Eles colocarão à prova o ousado experimento do psicólogo da Universidade de NY Arthur Aron, que desenvolveu um protocolo onde 36 perguntas, respondidas alternadamente, seriam capazes de fazer dois estranhos se apaixonarem um pelo outro. Será que dá Match? (60 – min – SP). Direção e Elenco: Soraia Costa e convidado. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

21h – Cinzas em Berlim, de Paula Autran. (DramaMix). Entre São Paulo e Berlim, entre o passado e o presente, entre o virtual e o real, um amor e suas cinzas insistem em contar suas histórias. Direção: Paula Autran. Elenco: Marcos Suchara e Luisa Helene. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

 * Transmissão simultânea ao vivo. 

21h30 – Curta-metragem de dança experimental “HYDRA” (Conexões Internacionais – DançaMix) – Berlim, Alemanha – Curta-metragem de dança experimental, que parte da recém chegada da performer Natasha Vergilio na cidade de Berlim, Alemanha. Hydra é a irregularidade da forma narrativa, a personagem desperta suas emoções contraditórias no tempo, no calor e na frieza da cidade de Berlim. Com sua mobilidade física, ela desenha no espaço o conflito com a cidade, expressando sua insistência e habilidades de continuar em um caminho sem volta. A film by Dan Caetano & Natasha Vergilio. Music by Huma-Huma – “Hydra” & “Nevada City”. Gênero: Filme experimental, vídeo dança, vídeo arte. Ano de produção: 2019. (4 min – BERLIM/ALEMANHA). Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

21h30 – Os profissionais, de Marcio Tito. (DramaMix). A diva Inês Remanso aponta uma arma para a cabeça de um jovem ator porque são vizinhos e não se conhecem. Direção: Júlio Oliveira. Elenco: Fabrício Castro e Samira Lochter. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

21h40 – Videodança “Teresas” – Cia da Vila (DançaMix) – As “teresas” são tranças feitas com tecidos diversos como lençóis, fronhas, toalhas, etc, utilizados em presídios e manicômios, tranças direcionadas a fuga. Uma fuga para um outro estado.  Produzido em plano sequência, “Teresas” convida o espectador a passear pelos cômodos da casa, como um voyeur, observando a intimidade de cada um, em um local onde as relações se entrelaçam e permanecem ali, como um processo cíclico, sem fim. (10 min – SP). Bailarinos: Clara Hornis, Daru Liberato, Julio Françozo, Rebeca Tadiello e Cristina Rother. Direção: Priscila Magalhães. Coreografia: Liliane de Grammont. Direção de Imagem: João Leão. Produção: Bronca Filmes e Nome Filmes. Onde: Sala Antônio Pompeo (6º andar).

22h00 – Espetáculo “Protagoniza Mulher” (DançaMix) – Com Núcleo Pluráttis – Movidas pela luta frente à estrutura social patriarcal que desqualifica o protagonismo da mulher em sociedade, Protagoniza Mulher trás para a cena as experiências particulares das integrantes, no tocante à presença e ausência de protagonismo em suas vidas, combinando sua pesquisa corporal às letras autorais de compositoras mulheres dentro do recorte territorial periférico da zona sul de São Paulo. (12 min – SP) Elenco: Larissa Souza, Larissa Vieira, Vanceli Masta Direção: Coletiva. Onde: Sala Antônio Pompeo (6º andar).

22h00 – Jardim da Conquista, de Celso Cruz. (DramaMix). Um dia ele foi professor e violonista, hoje vive do cobre roubado dos túmulos da cidade.  Enquanto exerce seu ofício, no meio da pandemia, ele conversa com figuras do limiar da madrugada e sonha com amor e liberdade no Jardim da Conquista. Direção: Celso Cruz. Elenco: Marcos Suchara. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

* Transmissão simultânea ao vivo. 

22h20 – Videodança “Fragments” (Conexões Internacionais – DançaMix). – Paris, França – Com Juliana Kis – Sensível e dedicada à sua arte. Nascida no Brasil, mas com nacionalidade greco-brasileira, atualmente vive em Paris. Dançarina desde os 9 anos de idade, professora e coreógrafa há mais de 14 anos, é formada em educação física com experiência em hip hop e dança contemporânea. Criadora, diretora e coreógrafa da Brainstorm Dance Company, grupo que foi vencedor do “Rock in Rio Dance Dance Competition” nacional e internacionalmente. Trabalhou como dançarina na Ásia em Cingapura, Vietnã, China e Coréia do Sul. Estudou danças urbanas em Los Angeles, onde participou do curso de formação “Establish Your Empire”, vinculado a “Movement Lifestyle Studio”. Convidada regularmente como professora e jurada em festivais e eventos dentro e fora do país. Destaque para sua participação em alguns dos eventos mais importantes do Brasil, H2K Rio Hip Hop Kemp (Rio de Janeiro), BDC Brazil Dance Camp (Minas Gerais), FIH2 Festival Internacional de Hip Hop (Curitiba) e Festival de Dança de Joinville, considerado o maior da América Latina e um dos maiores eventos de dança do mundo. Ministrou workshops nos Estados Unidos, França, Alemanha e Portugal, também foi jurada nos últimos dois países. Dançarina contratada pela Ópera Nacional de Paris para fazer parte do elenco de “Les Indes Galantes”, a primeira ópera da história a receber dançarinos de danças urbanas, dirigido por Clément Cogitore & Bintou Dembele e performado na Ópera Bastille em Paris. (4 min – PARIS/FRANÇA). Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).

22h25 – Videodança “A Sense Of Touch” (Conexões Internacionais – DançaMix). – Paris, França – Com Juliana Kis – Estreou no 2º Curta-metragem de Dança apoiado pelo Polaris Dance Theatre. Portland, Oregon. Convidado a participar da exposição de videodança no evento ‘CAPUT’. O evento apoiou pesquisas de artistas de diversos países. (4 min – PARIS/FRANÇA). Concept & Performer: Juliana Kis. Filmmaker: Guillaume Baudusseau. Onde:  Sala Antônio Pompêo (6º andar).

23h – Até quando?, de Clóvys Torres. (DramaMix). Um encontro entre um homem e uma mulher, num momento decisivo de suas vidas. Enquanto o passado se estende sobre suas cabeças, esperam a noite chegar e torcem para que tenha lua, sinal de que o futuro será possível. Até quando? É sobre espera, fuga e esperança. Direção: Clóvys Torres e Cristina Cavalcanti. Elenco: Clóvys Torres e Cristina Cavalcanti. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

23h59 – Quando as mães choram, de Pedro Fagundez. (DramaMix). Após sofrer um abuso sexual do próprio tio, Ana precisa decidir o rumo que levará da sua vida, entre os caminhos que pode seguir, sua mãe acompanha de longe as decisões da filha sem se preocupar com as consequências que podem gerar no futuro enquanto Ana segue seu caminho até o nascimento da criança. Direção: Jonatan Cabret. Elenco: Chris Ferreira, Hiago Christe, Marcela Borges, Viviane Borges e Talles Paz. Onde: Sala Alberto Guzik (1° andar).

DOMINGO, DIA 05 DE DEZEMBRO

14h – Show “Boneca Russa” – O show “Boneca Russa” da banda “vitruviana” traz elementos do pop/progressivo com pitadas de MPB. Passeia desde o questionamento sócio/político, análise introspectiva ou simplesmente celebração da vida, com arranjos e letras refinadas ao mesmo tempo radiofônicas. (60 min – SP). Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar). Livre. 

14h30 – Fadário (Teatro Adulto) – Duas pessoas, um chá e uma espera. Na sombra da árvore a história se refaz, tentando entender qual a linha que separa a razão, da loucura. Qual o preço da falsa liberdade? Qual o limite pra se livrar de si? Até que ponto consegue aguentar? Você segura na fé, até ela te soltar. Desvaneceu o filho. O Jardim está pronto. O navio chega logo. Por hora, o chá está à mesa. (40 min – SP). Texto e Direção: Tiago Marcon. Elenco: Persona 1 – Afonso Torres Persona 2 – Márcio Guimarães. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar). 14 anos. 

16h – Eu falei de mais de mim – Leitura Dramatizada (Teatro Adulto) – Isolamento. Solidão. Dúvidas. Angústia. De onde vem as crises de uma mulher? O isolamento, devido a uma pandemia mundial, pode aumentar inseguranças que insistem em não passar. É possível quebrar esse ciclo? (40 min – SP). Texto: Erica Alves. Direção: Fernanda Faran. Elenco: Erica Alves, Shirlei Souza e Renata Maria Nogueira. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). 16 anos. 

16h – Excesso de peso (Teatro Adulto) – Vera, Sofia, Filó e Renata, quatro amigas de longa data, viram o aeroporto de cabeça para baixo tentando embarcar para Cancún. É aniversário de Filó e elas tem uma tradição de comemorar cada aniversário em um lugar diferente. Péssima notícia para as atendentes do aeroporto, que terão que enquadrar essas 4 amigas. (40 min – SP). Texto: Maria Valéria Domingues. Direção: Sandra Elisabet. Elenco: Gabriela Gasparini, Luciane Peligotti, Minnie Annie, Nataly Sobah e Sandra Elisabet. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar). 16 anos. 

16h – Humano à Vista, de Flavio Goldman. (DramaMix). Duas pessoas acreditam estar sozinhas no mundo, após uma catástrofe planetária – apenas os ratos também circulam pela face da Terra. Até que avistam ao longe um vulto – que se aproxima lenta mas determinadamente. Direção: Teatro dos 4. Encenação e interpretação do Teatro dos Quatro: Anderson Negreiro, Bruno Perillo, Heitor Goldflus e Rita Pisano. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

16h – Pocket Show – SUKATA O MUSICAL (Teatro Satyrianinhas) – Canções inesquecíveis – Pocket Show com as canções do Espetáculo Sukata o Musical. Piano e Voz. O Musical Sukata é um espetáculo infanto juvenil que retrata a realidade de três atendentes da doceria delivery Pekatu que insatisfeitas com o trabalho, e com as péssimas condições do lugar onde vivem. Iniciam um trabalho de reciclagem que vai mudar suas vidas e das pessoas à sua volta. Através da música busca levar de uma forma clara e sem muitas delongas, a possibilidade de uma sociedade mais sustentável, e com mais responsabilidade social. (40 min – SP). Texto e Direção: Alexia Annes. Elenco: Alana Oliveira, Ana Livia Kanno, Gabriela Silveira, Luana Rodrigues, Raphaella Paes, Madu Almeida e Marina Ginesta. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). Livre. 

17h – MUDO, de Mário Viana. (DramaMix). Embora continue a falar, um homem deixa de ser escutado pelos outros. Graças a uma memória prodigiosa, ele decora todos os poemas e textos teatrais que encontra, mas não consegue que o ouçam. Até o dia em que encontra um velho ator desmemoriado. Direção: Fábio Penna. Elenco: Fábio Penna. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

18h – Eu(,)g(ê)nia, de Luigi Paolo. (DramaMix). Em uma partida de xadrez os jogadores descobrem que há muito mais em jogo do que o que mostra o tabuleiro. Direção e Dramaturgia: Luigi Paolo. Dramaturgismo: Levi Corrêa. Elenco: Shirlei Souza e Levi Corrêa. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

18h – Nó Pornográfico – uma performance inspirada no universo Rodriguiano (PerforMix) – Sem uma linha linear entre o tempo e espaço, a narrativa livre se constrói através de cenas efêmeras, trazendo as mulheres arquetípicas da dramaturgia de Nelson Rodrigues em uma releitura performática. A atmosfera rodriguiana orquestra a performance. o adultério, a morte e a moral andam em procissão rumo ao desconhecido. Em o nó pornográfico o amor e o desejo discutem a relação. (40 min – SP). Performer: Bia Barros. Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar).12 anos. 

19h – Grão-mundo, de Denizart Fazio. (DramaMix). Depois de uma noite em claro, duas mulheres tentam se reconciliar com as marcas do tempo, com suas feridas e as lacunas do passado, enquanto passam um café. Direção: Denizart Fazio. Elenco: Janaína Mello e Marcela Harano. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).

* Transmissão simultânea ao vivo. 

19h30 – Faraó Tropical – Aquilo que se raspa para o novo (SatyriBlack – Teatro Adulto) – Faraó Tropical – Aquilo que se raspa para o novo é um experimento que usa elementos da Spoken Word junto a experimentações sonoras para narrar o transe de um indivíduo negro brasileiro que receberá em seu corpo o espírito do faraó Tuntankamon. Que conhecerá o Sul do mundo, beberá com os vivos e saudará os mortos. (50 min – SP). Texto, Direção e Atuação: Rafael Cristiano. Quando: Onde: Sala Antônio Pompêo (6º andar). Livre. 

19h30 – Tempo sob assédio, de DUAS ALEGORIAS TEATRAIS e Mauri Paroni. (DramaMix). Num falso manicômio e diante de uma câmera ocorre a leitura de autos existenciais sobre a nossa condição humana, assediada por variantes do tempo, lugar, afeto, moral e política. Um abalo sísmico que se procura dimensionar através da leitura teatral e imagética. Elenco: Arara Xestal, Afredo Attié, Brenda Oliver, Isabel Prado, Karina Pimentel, Kenji Suguimoto, Marcos Reaux, Pedro Urizzi. Elenco pluralista composto de mulher trans, empresário ariano, performer-dresser, empresário nipônico, ariano, atriz preta, atriz branca, diretor de cinema, jurista importante, dramaturgista deficiente físico. Onde: Sala Vange Leonel (4º andar).

20h – “O que temos pra hoje”, de Thiago Tenório. (DramaMix). Num futuro onde os teatros foram destruídos, uma personagem soterrada recebe a inesperada visita da plateia. Direção: Herácliton Caleb. Elenco: Bruno César de Oliveira. Onde: Sala Alberto Guzik (1º andar).

* Transmissão simultânea ao vivo. 

21h – Genêsis do macho prepotente, de Hugo Possolo. (DramaMix). Direção: Hugo Possolo. Elenco: Camila Turim e Hugo Possolo. Onde: Sala Hilda Hilst (8º andar).


Comments are closed.

Back to Top ↑
  • Twitter


  • Facebook