ModaMix

ModaMix

A Satyrianas tem o prazer de apresentar o ModaMix, trazendo as passarelas para a programação do evento. Três desfiles diferentes integram essa primeira edição. O acervo de Phedra D. Córdoba, travestis, prostitutas e drag queens marcam o ModaMix 2016.

A passarela usada nos desfiles é uma composição da Daspu com a Kinguio Casa Art Studio.

SÅBADO, 12 DE NOVEMBRO

20h – Strass, Carajo! – Artista transmidia. Atriz, cantora, dançarina, maquiadora, figurinista, perfornmer, de personalidade forte e única. Phedra brilhava muito! Em plumas, penduricarios, lantejoulas, paetês e STRASS, CARAJO! Nunca saia de casa sem estar montada, emperequetada, com adornos mil, e ornamentos vindos de outras eras. Tempos estes onde as mulheres sabiam diferenciar as aves de suas plumas. Vaidosa e orgulhosa de seus ornamentos, Phedra guardou todos seus tesouros reluzentes por décadas, seu armário era um verdadeiro acervo, do qual saiam vedetes, dançarinas de flamenco, princesas, toureiras, cantoras, todas divas! E é a esse túnel do tempo que queremos levá-los com um desfile de raridades encarnadas por amigos e admiradores da nossa querida Phedrita. A curadoria do desfile fica por conta das figurinistas Bia Pieratti e Carol Carvalho. (45 min.) Onde: Praça Roosevelt – Área 1.

SEGUNDA, 14 DE NOVEMBRO

19h30 – Desfile Daspu – A marca acabou se tornando um dispositivo cultural que dialoga com as questões relacionadas ao corpo no embate com a sexualidade, gênero, a cidade e a prostituição. Os desfiles são provocações que se apropriam da irreverência e do humor do movimento de prostitutas como uma forma de lutar contra o estigma e o preconceito social. A coleção foi desenvolvida em parceria com o estilista Ale Marques e Marcita Guarani Kaiowá da marca de lingeries À dor amores. As peças trazem elementos e referências das “zonas de promiscuidade”, em que os gêneros são muitos e nas zonas de promiscuidade eles se reinventam na medida em que traçam novas linhas de passagem à deriva de um lugar “sabido” para o prazer e o sexo, segundo a coordenadora da marca Elaine Bortolanza. A coleção de camisetas, lançadas em junho de 2015 na Virada Cultural de São Paulo, trazem desenhos de Laerte, inspirados nos corpos sem gênero definido que se reinventam na relação com a cidade. A nova camiseta lançada agora em setembro no AWID Fórum Internacional também estará na passarela. A estampa traz a frase “A profissão é a prostituição mais antiga do mundo”. Trilha ao vivo com a banda As Bahias e a Cozinha Mineira.

Daspu volta este ano a desfilar na Praça Roosevelt em parceria com o teatro Satyros dentro da programação da Satyrianas que homenageia nesta edição a atriz Phedra de Córdoba. Uma passarela será ativada com prostitutas, travestis, transexuais e atores com objetivo de dar visibilidade para a luta política das prostitutas que ainda é extremamente silenciada e invisível. As atrizes trans Leona Johvs e Glamour Garcia, a cantora rap Danna Lisboa, além das putas ativistas Amara Moira e Betania Santos ocuparão a passarela com atores do Satyros e trans e travestis do Projeto Florescer. Haverá também no desfile uma performance em homenagem a madrinha das prostitutas Elke Maravilha, que desde a criação da marca se juntou  nesta batalha pelos direitos das prostitutas. A trilha do desfile será ao vivo com a banda As Bahias e a Cozinha Mineira. A passarela instalação “Tecidos vivos peles em transa” foi criada pelas artistas Daniela Pinheiro, Patricia Camelatto e Mariana Farcetta do coletivo de arte Kinguio CasaArtStudio.

 A coleção criada em parceria com os estilistas Ale Marques colaborador de resíduo têxtil para o estúdio sem nome da marca Fernanda Yamamoto e Marcita estilista da À dor amores e Tropicalwear trazem elementos e referências das “zonas de promiscuidade”, em que os gêneros sao muitos e nas zonas de promiscuidade eles se reinventam na medida em que traçam novas linhas de passagem à deriva de um lugar “sabido” para o prazer e o sexo. Esta coleção traz ainda estampas da marca com Laerte lançada em junho de 2015 na Virada Cultural de São Paulo. A nova coleção de camisetas com a frase “A profissão é a prostituição mais antiga do mundo” também estará na passarela.

 Ficha Técnica:

Coordenação e produção: Elaine Bortolanza

Estilistas: Ale Marques e Marcita Amores

Colaboradores da nova coleção: Resíduos e tecidos do Estúdio sem nome da marca Fernanda Yamamoto e Carol Ricca artista visual.

Trilha do desfile: As Bahias e a Cozinha Mineira

Luz: Beto Magnani

Passarela instalação: Daniela Pinheiro, Patricia Camelatto e Mariana Farcetta do coletivo de arte Kinguio CasaArtStudio

Maquiagem: Robson Oliveira e produtos MAC Cosmetics

Cabelo: Jhonny Braz

Foto: Daniela Pinheiro

Vídeo: Dário José

Assessoria de imprensa: Carola Gonzalez

(45 min.) Onde: Palco Mix.

20h – Desfile de Colação de Grau com TchaKa Drag Queen – Tchaka é uma personagem feita pelo ator Valder Bastos, estudou artes dramáticas na Escola Teatro Macunaíma em São Paulo. Este ano sua carreira completa 17 anos na arte de encantar pessoas através do humor, com mais de 5.000 apresentações em eventos por todo Brasil é considerada pela mídia à RAINHA DAS FESTAS. Oficinas a primeira e histórica  “Drag Queen Satyrianas” na primeira oficina será ministrado pelo artista plástico Miguel Ângelo a história de como surgiu a drag queen até os dias de hoje. Será confeccionado um adereço de cabeça com oficineiros. No segundo dia a drag queen TchaKa vai dar a oficina de dicas de maquiagem, perucas, figurinos e bussines dentro da cultura drag queen. Como finalização das oficinas será ensaiado um número musical e apresentado como a colação de grau da primeira turma de Drag Queens Satyrianas. Todas serão homenageadas pela coragem, desempenho e glamour em pisar no palco da Semana Satyrianas 2016. (40 min.) Onde: Praça Roosevelt – Área 1.


Sobre o Autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • Twitter


  • Facebook