Exposição

Exposição

Não Se Cale – Exposição Fotográfica – Tendo em vista como tema principal do evento Satyrianos desse ano é a atriz cubana transexual, Phedra D. Córdoba que sofreu com preconceito. Desenvolvemos especialmente o projeto NÃO SE CALE.O projeto da voz, forma, cores e expressão para pequenas frases que muitas vezes são pequenas feridas na alma. Produção: Danielle Cristina Rocha Brito dos Santos e Isabela Solano Pivetta  Quando: Sáb, 12/11 às 20h (abertura) – Exposição Permanente. Onde:  Satyros Um. 16 anos.

Exposição “Todos Podem Ser Frida” do Museu da Diversidade Sexual participa das Satyrianas 2016. O universo da aclamada pintora mexicana, Frida Kahlo, um símbolo do feminismo, é o pretexto para uma ampla discussão sobre papeis, expressões e identidades de gênero.

A fotografa Camila Fontenele de Miranda, idealizadora do projeto, montou um estúdio no Museu da Diversidade Sexual e os visitantes foram convidados a se transvestirem de Frida. Usando tecidos coloridos, tiaras de flores e a famosa sobrancelha da artista mais de 3 mil pessoas, entre crianças, jovens, idosos, homens, mulheres, trans, famílias e casais participaram criando um caleidoscópio de imagens que representam a diversidade.

A mostra apresenta uma seleção das imagens incluindo temas como novas famílias, casais de pessoas do mesmo sexo, diferentes expressões de gênero e questões etnicorraciais.

Ficha Técnica

Fotografias: Camila Fontenele de Miranda

Concepção: diversa, arte e cultura

Quando: Sáb a Ter, 12/11 a 15/11 – Exposição Permanente

Onde: SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt

 

Sobre o Museu da Diversidade

O Museu da Diversidade Sexual tem como tema central a valorização da diversidade sexual no Brasil por meio de ações de pesquisa, salvaguarda e comunicação do patrimônio material e imaterial, a partir da abordagem da história da população LGBT, do ativismo político e do legado sociocultural, entendendo seu papel importante e transformador da cultura brasileira.

Este é o terceiro museu do mundo e primeiro da América Latina relacionado à temática. Desde sua abertura em junho de 2012, recebeu mais de 70 mil visitantes, dos quais 30% vieram de outras cidades de São Paulo, outros estados e países. Além disso, as exposições que passaram pelo equipamento também cumpriram temporada em municípios do interior e do litoral paulista, atraindo mais de 20 mil pessoas.

Espera-se, com isso, proporcionar maior visibilidade à diversidade sexual, fomentar a discussão sobre a construção de políticas públicas voltadas ao combate à discriminação e violências dirigidas a esses segmentos e a promoção de uma cultura em direitos humanos e da cidadania plena da população LGBT.


Sobre o Autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • Twitter


  • Facebook