Estúdio NU

Estúdio NU nas Satyrianas 2020

O estúdio NU é um espaço de criação e produção artística sem restrições, e tem esse nome por estar despido de imposições é totalmente calcado na liberdade criativa. Pelo quarto ano consecutivo o estúdio NU participa das Satyrianas trazendo uma programação vanguardista, diversa e carregada na performatividade – agora com apresentações transmitidas digitalmente direto do Estúdio NU.

Local: Estúdio NU, na Rua Maria Paula, 122, conj 1208 – Bela Vista – assista pelo Zoom/Sympla


CURTA-METRAGEM


“ISOLATTA” – Estúdio NU

Classificação: 12 anos

Duração: 15 minutos

Sinopse:

“Isolatta”, filme produzido pelo Estúdio NU e e premiado em 2020 pelo festival “Arte Como Respiro” do Itaú Cultural, conta um dia de quatro artistas isolados cada um em seu apartamento no mesmo prédio, contrapondo, de um lado, a hiperrealidade da experiência cotidiana da quarentena com, do outro lado, a poetização das mesmas angústias, desejos e esperanças compartilhadas por todos através da dança – mostrando, ao cabo, estarmos unidos na resistência a estes tempos turbulentos — quando a calma não mais precede, mas contém a tempestade.

Direção e Roteiro: Fábia Mirassos, Hugo Faz, Naiara Laila e Rony Hernandes

Elenco: Fábia Mirassos, Hugo Faz, Naiara Laila e Rony Hernandes

Produção: Estúdio NU Produções Artísticas. Produção Executiva: Hugo Faz. Montagem e Edição: Hugo Faz. Direção de Fotografia: Hugo Faz e Rony Hernandes. Direção de Arte: Hugo Faz, Naiara Laila e Rony Hernandes. Trilha Sonora: Xan – Coração Gelado

Quando: Sex, 04/12, às 21h00

Onde: Vimeo/Sympla

Link: https://vimeo.com/estudionu/isolatta



VÍDEO-ARTE


“CAMSÓ” – Amanda Roux e Zen Damasceno

Duração: 4 minutos

Classificação: 12 anos

Sinopse:

Como persistir; de onde tirar forças quando nossas falências nos consomem? Desemprego, solidão, términos de ciclos, mudanças, readaptações… Quem sabe que está saudável? Qual alimento nutri a esperança? Na tentativa de lidar com nossos medos, falências, depressões, solidão, e de transformar isso, me alio à arte, que mesmo isolado me proporciona o poder de criar, expressar e tocar o próximo. Essa obra/grito surge da urgência em dividir nossos anseios, de encontrar e trocar com pessoas que pra além de enfrentar o isolamento social, ainda lutam dentro de si com seus demônios, suas ansiedades, sua solidão, constituindo um grande fator de risco para o suicídio. Por isso estamos aqui para expressar que mesmo sem poder nos tocar, estamos juntos.

Criação, direção e performance: Amanda Roux e Zen Damasceno. Trilha sonora adaptada do espetáculo DEMONIOS do Teatro da Pombagira, composição de Renato Navarro.

Quando: Sex, 04/12, às 21h30

Onde: Sympla/Vimeo

Link:https://vimeo.com/444450974


“Pele Digital” – Teatro da Pombagira

Classificação: 16 anos

Duração: 5 minutos

Sinopse:

O que atravessa a sua Pele? O Teatro da Pombagira convidou performers interessados em videoarte e body art a participaram de uma série de encontros sediados no SESC Av. Paulista onde foram provocados a responder, através da criação de uma “cenografia corporal”, quais as suas verdades, traumas e anseios mais singulares. Guiada pelos diretores, cada performer pôde ampliar suas possibilidades plásticas e partituras corporais para captação audiovisual e transformar essas intimidades em material digital.

Realização: Teatro da PombaGira

Direção e Roteiro: Marcelo D’Avilla e Marcelo Denny

Diretor de Fotografia: Marcos Camargo

Edição: Fábio Savino

Colorização: Calin Nistor

Trilha Sonora: Renato Navarro

Produção Geral: Marcelo D’Avilla

Apoio: SESC Av. Paulista e Laboratório de Práticas Performativas da USP

Performers: 

Airton da Silva Cruz, Andres Vallejos, Arthur Antonio Pereira Silva, Cantônio, Claudevan Leão, Evelin Manoela, Fabio Savino, Franklin Almeida, Gabriel Prado, Guilherme Reges, Gustavo Pinto de Souza, Hugo Carvalho, Hugo Faz, Leandro Flores, Marcos Braga, Marcos Valadão, Marina Ribeiro, Mateus Rodrigues, Raphael Hubner, Renato Teixeira, Sergio Amarante, Vitor Pereira, Wagner Turques Guinesi, Wesley Lima e Zen Damasceno.

Quando: Sex, 04/12, às 22h

Onde: Sympla/Vimeo

Link: vimeo.com/teatrodapombagira/pele-digital


“A Fome da Carne” – Teatro da Pombagira

Classificação: 18 anos

Duração: 5 minutos

Sinopse:

Sua carne tem fome do quê? Como podemos ouvir as súplicas do corpo em nome da mais sagrada fome: o desejo? Buscando dilacerar essas questões do corpo homossexual masculino de forma íntima, visceral e poética. Com Fome da Carne o Teatro da Pombagira dá sequência a sua pesquisa Homo Eros em vídeo, celebrando a potência dos corpos que desprendidos da cultura conservadora dos dias atuais flertam com suas peles e entranhas numa vertigem erótica e irracional.

Realização: Teatro da Pombagira

Direção: Marcelo D’Avilla e Marcelo Denny

Fotografia: Marcos Camargo. Edição: Mlk Brutal. Trilha Sonora: Renato Ravarro. Colorização: Calin Nistor

Elenco: Andres Veron, Antonio Januzelli, Caio Richard, Dudx, Gustavo Steffen, Jhonattan Rivero, Hugo Faz, Marcelo D’avilla, Marcelo Denny, Marcos Abranches, Mateus Rodrigues, Matheus Milanelli, Odara, Padu Cecconello, Renato Teixeira, Rob Canuto, Shantay, Thamu Candylust, Walmir Bess, Well Adélia, Wesley Lima, Will Balbino, Zen Damasceno

Quando: Sex, 04/12, às 22h30

Onde: Sympla/Zoom

Link:
https://vimeo.com/teatrodapombagira/fomedacarne



ESPETÁCULO GRAVADO


“SOMBRA” – Teatro da Pombagira

Classificação: 18 anos

Duração: 56 minutos

Sinopse:

Em SOMBRA, inspirado no livro de Alberto Manguel “A Biblioteca à Noite”, o Teatro da Pombagira fala da censura do conhecimento e dos corpos; de repressão sexual, julgamento e necropolítica, imergindo o público em um ambiente que revela as obras que foram deixadas nas prateleiras mais altas, trancadas ou retiradas de circulação por seu conteúdo queer, político, erótico ou fantasioso. Durante o espetáculo o público ouve em sussurros trechos de obras literárias que sofreram ou sofrem censura, enquanto os performers despudorados tomam conta do espaço e criam imagens e ações que vão do poético ao angustiante e ao pornográfico e ora colaboram na encenação, ora desnorteiam os entendimentos. “Sombra” foi apresentado no Festival Verão Sem Censura do Município de São Paulo e é esta gravação é parte do patrimônio imaterial da Cultura do Estado de São Paulo.

Realização: Teatro da Pombagira

Direção: Marcelo D’Avilla e Marcelo Denny

Elenco: Andres Veron, Andrew Tassinari, Hugo Faz, Lua Negrão, Marcelo D’Avilla, Mateus Rodrigues, Renato Teixeira, Ricardo Mesquita, Snoo, Walmir Bess, Wesley Lima, Zen Damasceno. 

Trilha Sonora: Renato Navarro. Desenho de Luz: François Moretti. Operação de Luz: Quinho Gonça. Cenografia: Denise Fujimoto. Curadoria de Textos: Ferdinando Martins. Fotografia: Chico Castro, Hugo Faz, Lucas Evangelista e Rick Barneschi. Registro e Edição de Vídeo: Hugo Faz – Estúdio NU Produções

Quando: Sex, 04/12, às 23h

Onde: Sympla/Vimeo

Link: https://vimeo.com/451701919/260b6a9ca4 



PERFORMANCE AO VIVO


“Isso Não é uma Peça” – Fábia Mirassos e Hugo Faz

Duração: 15 minutos

Classificação: 18 anos

Vídeo teaser: https://vimeo.com/estudionu/ineup-trailer

Sinopse:

1. Antes. Se o texto de Marcelo Oriani fosse uma peça, ela seria narrada por Fábia Mirassos, atriz-personagem, transsexual artista, mãe protagonista. Descreveria um encontro multissensorial de corpos em um quarto escuro. 2. Durante. Um beijo é cuspido e devolvido. O tempo para pra que os dois encontrem um compasso rumo ao infinito. O pecado consumado é branco. 3. Depois. De volta ao quarto escuro, a chama queimou nos olhos uma imagem tornando o êxtase desespero.

Direção: Hugo Faz

Texto: Marcelo Oriani

Interpretação: Fábia Mirassos

Performance: Hugo Faz

Fotografia: Hugo Faz e Rony Hernandes

Trilha Sonora: Bensound

Operação de Live: Rony Hernandes

Quando: Sáb, 5/12, às 22h

Onde: Sympla/Zoom

Link: https://www.sympla.com.br/performance—isso-nao-e-uma-peca__1068039 



LEITURA DRAMÁTICA


“Por Fora do Movimento da Vida” – Lua Negrão

Classificação: 14 anos

Duração: 50 minutos

Sinopse:

A Dama da Noite se abriu. Cuidado! Respirar pode ser tóxico. Acompanha de calafrio, tontura, vazio existencial, e uma sensação vertiginosa de que o mundo gira; e a cabeça só vai para de rodar quando desprender-se do corpo e cair no chão. Meu bem. *Livremente inspirado no conto “A Dama da Noite” de Caio Fernando Abreu.

Texto e Interpretação: Lua Negrão

Produção e Direção: Lua Negrão

Fotografia: Hugo Faz

Operação de Live: Hugo Faz

Quando: Sáb, 5/12, às 23h

Onde: Sympla/Zoom

Link: https://www.sympla.com.br/leitura-dramatica—por-fora-do-movimento-da-vida__1068048 


Comments are closed.

Back to Top ↑
  • Twitter


  • Facebook